segunda-feira, 23 outubro, 2017
Capa » Dicas de Treino » Quer trabalhar bem os glúteos?
Sineflex - Power Supplements
Quer trabalhar bem os glúteos?

Quer trabalhar bem os glúteos?

Falo tanto do agachamento que às vezes parece que ele é a única solução para um bom trabalho de glúteos. Então falarei um pouco do leg press, um exercício equivocadamente classificado como sendo específico para quadríceps. Repare que, durante sua execução, os calcanhares se aproximam do glúteo ao mesmo tempo em que os joelhos se aproximam do tronco, ou seja, para vencer a sobrecarga deve ocorrer extensão dos joelhos e extensão de quadril, com ação do glúteo máximo e dos adutores. Isso mesmo, dos adutores!

E o bom é que esse exercício permite usar grandes amplitudes e sobrecargas, fatores importantes para hipertrofia. De fato, os estudos mostram que o leg press promove hipertrofia não apenas no quadríceps, mas também no glúteo máximo e nos adutores. Portanto, quem o realiza não precisa pagar mico ficando em quatro apoios ou abrindo e fechando as pernas em máquinas esquisitas. Por que ninguém fala isso? Simples, porque o glúteo não fica exposto durante a exercício, ao contrário do quadríceps, aí já sabe… “quem não é visto não é lembrado”. Não é lembrado nem nas “sensações” e nem nas fotos!

Sei que vão me perguntar: nem as mulheres precisariam dos exercícios para glúteos? A resposta é NÃO! Um estudo da University of Kentucky colocou homens e mulheres para realizarem exercícios de cadeia cinética fechada e verificou que elas naturalmente ativam mais os glúteos que os homens (Dwyer et al., 2010)! Ou seja, não há nenhuma questão biomecânica que possa indicar um trabalho diferenciado para elas!

PS: por favor, tirem as mãos da coxa/joelho durante o exercício, leg press é uma coisa, supino é outra!

Dwyer MK1, Boudreau SN, Mattacola CG, Uhl TL, Lattermann C. Comparison of lower extremity kinematics and hip muscle activation during rehabilitation tasks between sexes. J Athl Train. 2010 Mar-Apr;45(2):181-90. doi: 10.4085/1062-6050-45.2.181.

Referência: http://goo.gl/PRX7ZJ

Sobre Paulo Gentil