segunda-feira, 23 outubro, 2017
Capa » Dicas de Treino » Como controlar a intensidade nos exercícios de HIIT?
Sineflex - Power Supplements
Como controlar a intensidade nos exercícios de HIIT?

Como controlar a intensidade nos exercícios de HIIT?

Atualmente tem aparecido uma explosão de informações sobre os exercícios intervalados de alta intensidade (HIIT), inclusive o American College of Sports Medicine (ACSM) colocou o HIIT como tendência de fitness número 1 para 2014.

Uma variável muito difícil de controlar nesses exercícios são a intensidade de treino, certo?

Vocês já ouviram fazer em intensidade alto selecionada?

Ou seja, você induz a pessoa a se exercitar em uma determinada intensidade e ela auto seleciona uma intensidade que se sinta confortável.

Vou trazer pra vocês um artigo fresquinho da NSCA, acabou de sair do forno (abril/2014).

Sex-Specific Responses to Self-Paced, High-Intensity Interval Training With Variable Recovery Periods
Laurent, C. Matthew; Vervaecke, Lauren S.; Kutz, Matthew R.; Green, J. Matthew.

Nesse estudo o objetivo foi aplicar um protocolo de HIIT e verificar a intensidade selecionada e se tinha diferença entre homens e mulheres.

Protocolo:

  • 6 x 4’min, na intensidade mais alta possível, levando em conta que a pessoa teria que repetir 6 vezes o estimulo (essa foi a instrução de intensidade);
  • Por 1, 2 ou 4 min de intervalo.

Resultados:

  • Os homens mantinham uma intensidade de aproximadamente 85,6% do Vo2Máx;
  • E as mulheres 88,4% do VO2Máx.

Uma das conclusões do estudo foi que existe diferença entre homens e mulheres na intensidade selecionada. Mulheres mantem intensidades relativas (%VO2Máx) mais elevadas, indicando uma maior tolerância a fadiga e/ou uma recuperação mais rápida que os homens.
Um possível fator que pode influenciar o aumento da resistência à fadiga durante o exercício e desempenho esportivo em mulheres é o nível de estrogênio. Estudos têm demonstrado que o estrogênio pode exercer um efeito protetor sobre o músculo esquelético, na resistência à fadiga, e inflamação durante e após o exercício.

Um ponto desse estudo que é importante destacar é que a intensidade selecionada pelos participantes foi próxima aos 90% do VO2Máx.

Eu digo que bate muito com a prática, pois quando solicito aos meus alunos para buscarem altas intensidade nos exercícios de HIIT a intensidade mensurada fica próximo de 90% da frequência da reserva.

Então na minha humilde opinião como não se consegue chegar a intensidades tão elevadas em pessoas normais deve-se aumentar um pouco o volume dos treinos de HIIT, em comparação a estudos que usam os protocolos de tabata (170% de intensidade) ou Wingate.

Sobre Prof. Eduardo Barberini